A Música e o Desenvolvimento Infantil
Artigos

 

 

A Música e o Desenvolvimento Infantil


Diversas investigações têm sido desenvolvidas, particularmente desde as últimas décadas do século XX, com o objetivo de estudar a influência da música no desenvolvimento das crianças. Alguns estudos têm demonstrado inclusivamente que, ainda no útero materno, os bebés conseguem ouvir música, respondendo aos estímulos sonoros com pontapés e outros movimentos. Da mesma forma, os recém-nascidos e os bebés mais crescidos parecem também ser influenciados pela música, respondendo a esta com balbucios melodiosos e movimentos extasiados dos braços e das pernas. Por seu lado, as crianças com idades compreendidas entre 1 e 5 anos, estando numa fase pré-simbólica, mais do que palavras, ouvem a melodia das frases. É por esta razão que se atemorizam com um tom de voz zangado, e se deleitam com um tom de voz meigo e terno, mesmo quando no primeiro caso se estejam a dizer coisas positivas e, no segundo, negativas.
Quando se fala de “desenvolvimento” parece haver uma tendência para se limitar o pensamento ao nível físico ou cognitivo (intelectual). Todavia, importa destacar que, quando falamos de desenvolvimento infantil referimo-nos, não apenas ao desenvolvimento físico ou cognitivo, mas também ao desenvolvimento afetivo e social. Neste sentido, a música constitui um elemento-chave nos primeiros anos de vida por estimular um vasto conjunto de competências – ao nível físico, mental e psicológico –, e por promover não apenas o desenvolvimento cognitivo, mas também afetivo e social. Já Schoenberg dizia “A música é uma sucessão e combinação de tons, organizados de tal forma que deixam uma impressão agradável no ouvido, e a sua impressão na inteligência é compreensível… Estas impressões têm o poder de influenciar partes ocultas da nossa alma e das nossas feras sentimentais”.
No que se refere ao desenvolvimento cognitivo, os estudos têm demonstrado que a música pode estimular a aprendizagem, o raciocínio lógico, a memória e o raciocínio abstrato. De facto, cada vez mais, a música é introduzida na educação infantil, em meios de ensino pré-escolar e escolar, e isto explica-se, não só pelo seu caráter lúdico (muito atrativo e apelativo para bebés e crianças), mas também pelo seu potencial de estímulo à aprendizagem e ao desenvolvimento de competências cognitivas básicas.
No que concerne ao desenvolvimento afetivo, os estudos têm mostrado que a música, pelo seu caráter relaxante, pode ajudar a acalmar os bebés. Muitas mães já repararam que, colocar o bebé do lado esquerdo do seu peito, deixa-o mais calmo e tranquilo. A explicação para isto é que nesta posição o bebé ouve o mesmo som que ouvia quando ainda no útero materno, ou seja, o som do coração da mãe. Os estudos desenvolvidos neste campo têm demonstrado que a exposição ao som de batimentos cardíacos tem um efeito tranquilizante para os bebés. De forma semelhante, com a exposição a músicas e melodias suaves, os bebés tendem a permanecer mais calmos. Podemos afirmar assim que a música e o afeto parecem andar lado a lado quando falamos do desenvolvimento afetivo das crianças.
Ao nível do desenvolvimento social importa destacar que a música exerce uma forte influência no campo da maturação social da criança, uma vez que a insere na sua própria cultura e ritos comunitários (celebrações de aniversários, acontecimentos religiosos, festividades, etc.).

Em suma, a música reveste-se de grande importância desde cedo na infância e mesmo antes do nascimento: o feto ainda no ventre materno, o bebé recém-nascido ou a criança que experimenta os primeiros passos, quando expostos a estímulos sonoros adequados, beneficiam de um ambiente que potencia um desenvolvimento harmonioso. Os resultados dos estudos científicos mostram que a música potencia a aprendizagem e o desenvolvimento de importantes competências cognitivas, transmite emoções e afeto, e marca importantes experiências de vida pessoais e sociais, constituindo por isso um elemento-chave para o desenvolvimento global, particularmente nos primeiros anos de vida.
 
Sugestão para os Pais
Muitos pais referem que os seus bebés ficam mais calmos e tranquilos quando ouvem as músicas do álbum Doremi Bebé (lançado pela DO-RE-MI Sounds) e, como tal, esta pode constituir uma ótima escolha. Por se tratar de um álbum de músicas estimulantes e relaxantes, especialmente desenvolvido por um grupo de músico-terapeutas e compositores distintos na área da música infantil, e concebido para estimular e desenvolver as capacidades de bebés e crianças, pode revelar-se uma escolha interessante e acertada para os pais que procuram estimular os seus bebés e as suas crianças através da musicalidade, particularmente no período entre a gravidez e os 3 anos.
 
Cláudia Madeira Pereira
Psicóloga Pediátrica
 
 
Artigo publicado no site da Doremi Sounds, em Setembro de 2011. Ver aqui
Artigo publicado na Revista Saúde Hoje, Edição 4 (páginas 22 e 23), 2011. Ver aqui
 
 


 
 
 
 
  • Coisas de Crianca
  • Little Chef
  • Saúde Hoje
  • Saude e Bem-Estar
  • Tutti Rev
  • Adexo
  • Doremi Sounds
  • SB
  Listar todos